Arquivo do autor:Arthur Virmond de Lacerda Neto

O mito do militar-tecnocrata-positivista.

O escritor católico Carlos Ramalhete, em artigo da Gazeta do Povo, de 9.V.2019, criou o mito do militar-tecnocrata-positivista, personagem de fantasia, responsável, segundo o artigo, pela esquerdização do Brasil, desde 1964 até ao regime de Jair Bolsonaro. Na fase de … Continuar lendo

Publicado em Anti-Positivismo., Carlos Ramalhete., Mitos da história do Brasil. | Deixe um comentário

Lugares-comuns de linguagem.

Muitos jornalistas, juristas e acadêmicos usam lugares-comuns de redação, que é aconselhável evitar. Aqui, os examino e aponto alguns: Lugares-comuns de linguagem.  

Publicado em Língua portuguesa, Lugares-comuns de linguagem., Redação jurídica., Vício de linguagem | Deixe um comentário

Anáforas. Homossexualidade; Positivismo.

Chamam-se de anáforas os versos cujos dizeres iniciais repetem-se: nomeiam tipo de versos e não dada poesia. Aqui, no entanto, o nome daquele serve como título da poesia. Dentro de alguns anos, estas anáforas, hoje ainda dotadas de combatividade, serão … Continuar lendo

Publicado em homofobia, Homossexualidade, Poesia., Positivismo de Augusto Comte | Deixe um comentário

Famílias tradicional e fundamentalista.

Fala-se, com sinceridade ou com oportunismo, de família tradicional. Entenda o que ela é, aqui: Família tradicional. Família fundamentalista.

Publicado em Família "tradicional", Família fundamentalista. | Deixe um comentário

Bentham e a homossexualidade.

Jeremias Bentham (1), jurista e filósofo inglês do século XVIII, advogou a despenalização da homossexualidade, cujo caráter inofensivo afirmou, em dissertações precursoras do entendimento atualmente predominante a respeito. Aqui, dou a tradução que fiz do posfácio de Cristiano Laval (2), … Continuar lendo

Publicado em Bentham., Homossexualidade | Deixe um comentário

Polícia léxica.

POLÍCIA LÉXICA. Censuraram a palavra mulato, por, alegadamente, derivar de mula, e os pardos não quererem ser tratados por mulas, embora jamais “mulato” tivesse conotação depreciativa. Agora, censuraram o agradecimento “obrigado”, porque expressava, antanho, obrigação de reciprocidade, de quem agradecia, … Continuar lendo

Publicado em Politicamente correto., Vício de linguagem, Vernáculo. | Deixe um comentário

O homem vulgar bosteja nas redes sociais.

  O HOMEM VULGAR BOSTEJA NAS REDES SOCIAIS. É cediço que a maioria das pessoas pensa por senso comum, sabe por senso comum, discute por senso comum. Também é cediço que o bom senso é rareia; outra verdade (que Umberto … Continuar lendo

Publicado em Homem vulgar., Redes sociais. | Deixe um comentário