Positivismo censurado

  Intitula-se Mídia sem máscara uma gazeta eletrônica, dos conservadores brasileiros, que publica artigos de informação, de doutrina, de crítica ao governo, de defesa do cristianismo, de combate ao movimento guei e dos mais temas caros àquele movimento de pensamento.

   Um leitor, de nome João da Ega, interveio, com comentários, no artigo “Três pilares da ordem”, em que lhe elogiou o alto nível de informação, reparou que as boas traduções devem buscar o equivalente, na língua para que se traduz, o que se escreve na de que se traduz (e não uma sua imitação literal) e ponderou, sob forma de interrogações, que há conservadores ateus e a favor do casamento homossexual, ou seja, que eles não são, necessariamente, cristãos e homofóbicos. Por fim, referiu o conservadorismo positivista e recomendou o livro “A sociologia de Augusto Comte” e este mesmo sítio.

  Introduzido tal comentário no dia 27 de novembro de 2011, ele foi apagado pelo mentor da Mídia sem máscara e impediu-se o acesso de João da Ega a ela, mercê do bloqueio da sua conta.

  João da Ega foi censurado e eliciado.

  Os mentores da Mídia sem máscara inadmitem nenhum desvio da sua ortodoxia, nenhuma liberdade de descrença e de costumes. Será, também, que inadmitem o Positivismo, como ateísmo? Será, também, que inadmitem o Positivismo, como doutrina ateológica? 

 A ala cristã dos conservadores brasileiros e norte-americanos professa a fé em deus, a crença na Bíblia como palavra revelada, a hostilidade à doutrina da evolução e ao casamento homossexual.

  Tal conservadorismo é francamente mau, porque teológico, ou seja, porque fundado em uma forma de entendimento essencialmente falsa e que desmente o conhecimento acumulado pela Humanidade com base na observação da realidade.

  Ser conservador, apreciar os valores tradicionais da sociedade ocidental, acatar os costumes, pugnar pela sua alteração progressiva, não se liga, necessariamente, à crença no sobrenatural nem nas religiões teológicas. O senso da conservação e da continuidade não correspondem a exclusividades dos cristãos. Ao contrário, há conservadorismo laico ou emancipado (para empregar o vocabulário do Positivismo), ou seja, a militância da Mídia sem máscara encarna a parcela atrasada e retrógrada do conservadorismo brasileiro, aquela cujo modelo mental baseia-se em ficções que a evolução da humanidade superou de há muito. Tal conservadorismo não é o de João da Ega, não é o meu, não é o do Positivismo. Que seja o da Mídia sem máscara, tanto pior para ela.

 

(28.XI.2011).

  Aqui a ligação do artigo:

http://www.midiasemmascara.org/artigos/conservadorismo/12607-tres-pilares-da-ordem-edmund-burke-samuel-johnson-adam-smith.html

Anúncios
Esse post foi publicado em Positivismo de Augusto Comte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s