Arquivo da categoria: Crítica de costumes.

“Foi mal.”.

    “Foi mal.”.                                                Arthur Virmond de Lacerda Neto. 9.8.2017. Na convivência humana, há regras e fórmulas de urbanidade. Constituem regras de urbanidade as sujeições que cumprimos e que exprimem deferência, respeito, consideração, apreço, solidariedade por outrem. Elas … Continuar lendo

Publicado em "Foi mal."., Crítica de costumes., Não categorizado | Deixe um comentário

Relacionamento aberto. Namoradinhas.

                                                         Relacionamento aberto Arthur Virmond de Lacerda Neto. 20.I.2017. O relacionamento aberto é … Continuar lendo

Publicado em Caretice., Costumes., Crítica de costumes., Movimento homossexual., Namoradinhas., Puritanismo., Relacionamento aberto., Sexualidade. | Deixe um comentário

Trajo jurídico. Saias masculinas.

Trajo jurídico. Saias masculinas.                                        Arthur Virmond de Lacerda Neto.                                               Novembro de 2016. I – Neo-informais jurídicos. II – Calças coloridas e … Continuar lendo

Publicado em Bermudas, Calças coloridas., Costumes., Crítica de costumes., Saias masculinas., Traje jurídico., Vestimentas., Vestuário. | Deixe um comentário

Fiscal da vida alheia.

FISCAL DA VIDA ALHEIA. Em Curitiba, há um personagem popular, o Homem de Oleo, ou Oil Man, que pedala vestido, apenas, de sunga. Um sujeito, ao vê-lo, disse: -É atentado ao pudor. Eu, que falo com estranhos e que sou … Continuar lendo

Publicado em "Oil man"., Caretice., Costumes., Crítica de costumes., Evangélicos., Fiscal da vida alheia., Herança cristã., Ignorância. | Deixe um comentário

Beijo homo em público.

                                                           BEIJO HOMO EM PÚBLICO. BEIJAÇO. Arthur Virmond de Lacerda Neto Setembro … Continuar lendo

Publicado em Beijaço., Beijo em público., Crítica de costumes., Liberdade, Movimento homossexual. | Deixe um comentário

Fiscais de cu.

  UNDÉCIMO MANDAMENTO. FISCAIS DE CU. Arthur Virmond de Lacerda Neto. 21.x.2016. Os mandamentos são onze e não dez. O undécimo, praticado por muita gente, é este: “FISCALIZARÁS A VIDA DO TEU PRÓXIMO”, o que se interpreta como: observarás e … Continuar lendo

Publicado em Ateísmo, Caretice., Casamento homo., Censura. Censura religiosa., Crítica de costumes., Cristianismo, Evangélicos., Falso-moralismo., homofobia, Homossexualidade, Undécimo mandamento. | Deixe um comentário

Doutor é quem tem doutorado. Mas…

DOUTOR É QUEM TEM DOUTORADO. Primeiro de agosto de 2017. De fato. Porém, o doutor (em sentido coloquial) não é expressão, por inerência, de soberba. Aliás, em 50 anos , jamais percebi que algum médico ou advogado o usasse ou … Continuar lendo

Publicado em Crítica de costumes., Doutor. | Deixe um comentário

Bela, recatada e do lar ?

BELA, RECATADA E DO LAR ?   Arthur Virmond de Lacerda Neto. 21.IV.2016.   O título da entrevista da revista Veja, relativo à mulher do vice-presidente do Brasil, e que repeti para intitular este artigo, vem suscitando animadversões no público … Continuar lendo

Publicado em Crítica de costumes., Machismo., Mulheres. | Deixe um comentário

As bermudas na escola de Porto Alegre.

Em 24 de fevereiro de 2016, alunas do Colégio Anchieta, de Porto Alegre, dirigiram petição à direção da escola, em prol da sua (das alunas) liberdade de trajarem bermudas curtas, iniciativa que apóio. Intitulada “Vai ter shortinho sim”, eis a … Continuar lendo

Publicado em Bermudas, Caretice., Colégio Anchieta., Crítica de costumes., Vestimentas., Vestuário. | 2 Comentários

As bermudas são proibidas.

                            As bermudas são proibidas ou Ridicularias no Brasil. Palácio de Recife.   Arthur Virmond de Lacerda Neto 19.XII.2015.   Há, no Brasil, uma exigência de comportamento que me surpreende: a de turistas trajarem calças em dados ambientes … Continuar lendo

Publicado em Bermudas, Caretice., Crítica de costumes., Nudez. Naturismo., Preconceito., Somatofobia., Vestimentas., Vestuário., Vezos do Poder Judiciário. | Deixe um comentário