Pais de filhos homossexuais.

Pais de filhos homossexuais.

   Pais de filhos homossexuais

                       Arthur Virmond de Lacerda Neto

                       8.IV.2006.

 

Freqüentemente, os pais reagem com hostilidade ao conhecerem a bissexualidade e, sobretudo, a homossexualidade dos seus filhos:  decepção, revolta, desprezo, mágoa, sentimento de culpa  e dramas familiares, em que o filho torna-se objeto de incompreensões e de recriminações: ao preconceito e à discriminação da sociedade, somam-se os da família: ao sofrimento provocado pelos outros, acresce-se o infundido por aqueles que devem encarnar os primeiros amigos e colaboradores dos filhos, nas suas vidas em geral. Ali e junto de quem os filhos deveriam receber apoio e compreensão, não os recebem:  ao invés de solidariedade, solidão, em especial nas famílias de mentalidade tradicional.

Devem os pais entender que a homossexualidade não representa uma opção, porém uma inerência, não um desvio, porém uma naturalidade, e aceitar a natureza dos seus filhos e, assim como ampará-los-iam na suposição da sua heterossexualidade, devem ampará-los no conhecimento da sua homossexualidade. Antes de tudo, devem convencer-se de que o filho, como qualquer pessoa, goza de liberdade pessoal e portanto sexual, e que neste âmbito, a sexualidade do filho corresponde à sua mais estrita privacidade, em que ele é soberano e sobre a qual nem os pais, nem ninguém, pode, legitimamente, exercer qualquer direito de inibição e de discriminação face à alternativa entre a homossexualidade, a bissexualidade e a heterossexualidade.

 Destarte, o descobrimento da homossexualidade do filho não deve, em nada, alterar os sentimentos dos pais nem o tratamento que lhe dispensam:  devem eles representar colaboradores na realização da felicidade do filho tal como ele, e não eles, a concebeu. Mormente, os pais idealizam um certo futuro relativo aos seus filhos (notadamente os varões): na suposição da sua heterossexualidade,  futuram-nos casados e pais, prevêm-lhes a constituição de família e o advento de netos, na convicção de que este anseio corresponde ao dos filhos, o que muitas vezes não se confirma, especialmente no caso da homossexualidade do filho, hipótese que  devem formular e propiciar ao filho a mais inteira liberdade para negá-la e para confirmá-la, se for o caso.

É no seio familiar que o filho deve poder revelar a sua condição sexual, e contar com o apoio dos seus pai e mãe, para com eles partilhar dos seus sentimentos, expectativas e problemas, deles receber afeto e orientação, e sentir-se tão querido quanto o seria se heterossexual.

Importa educar, também os pais, preconizava W. Stekel: com razão. O amor por princípio, recomendava Augusto Comte: com razão

Anúncios
Esse post foi publicado em Homossexualidade. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Pais de filhos homossexuais.

  1. Ricardo disse:

    Sim, o entendimento parte da compreensão. Os pais e a sociedade devem ser educados. O orgulho gay eh uma forma de se fazer isso. Dar visibilidade é uma forma de mostrar que existe e mostrar que existe é uma forma de gerar discussão. Se a sexualidade saisse do campo do privado e passasse a uma discussão mais aberta e franca, preconceitos seriam derrubados mais facilmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s